O bebê de 8 meses

O bebê de 8 meses

Se antes eram tentativas, agora seu bebê está engatinhando, o que significa que sua casa pode ser um campo minado para alguém que quer descobrir as coisas, mas que ainda não tem total controle sobre os movimentos do corpo.

Com 8 meses, ele já não é mais aquele bebezinho frágil e molinho, que demandava todo um jeito para pegar no colo, mas em compensação o peso dele aumentou para uns 10 kg e com a introdução alimentar, a tendência é elevar mais.

O que compensa é que ele não quer ficar tanto no colo assim, preferindo o chão para brincar, que aliás é o lugar mais seguro, querendo alcançar os brinquedos e, a parte mais fofa e engraçada desse mês, ele vai perseguir você por todos os lugares.

 

Cuidados com o bebê

Seu bebê não está só crescendo, está mais esperto.  A atenção precisa ser centuplicada. Mantenha vasos sanitários bem fechados, baldes com água, produtos de limpeza e remédios longe do campo de visão e do alcance dele, gavetas travadas, tomadas protegidas, fios enrolados, travas e grades nas janelas, proteção nas escadas e nas piscinas, objetos de vidro ou quebráveis na parte de cima dos armários.

O bebê deve ficar livre para explorar, mas cuidado em certos lugares como cozinha, onde estão facas e panelas quentes; banheiro, com shampoos, cremes e outros produtos e o cesto de papel, com muitas bactérias; lavanderia, cheia de riscos.

Ao mesmo tempo em que a atenção é necessária, o excesso dela pode ser prejudicial ao desenvolvimento do seu filho. Por esse motivo, é bom observar e permitir que ele descubra certas coisas e se descubra.

Cair faz muito parte do aprendizado e provavelmente vai acontecer muitas vezes. Tente manter a calma e atender sem estresse, caso ele chore, conversando tranquilamente e dando segurança para ele tentar novamente.

 

Crise dos 8 meses

Chamada da Angústia da Separação, é uma das mais severas na vida do bebê, tendo uma duração de 3 a 4 semanas, podendo se estender até o 9° mês. Como ele percebe mais o que acontece, se torna mais difícil quando a mãe se afasta.

A preocupação de que você não vai voltar é tão intensa, que ele fica desesperado, o que causa irritabilidade, ansiedade, alteração no apetite, no sono e no humor.

As formas mais acertadas para lidar com essa crise é:

– Paciência e tranquilidade, o que aliás é um dom que a mãe, ou terá desde os primeiros dias, ou precisará aprender a ter. Faz parte do processo. Além do mais, é muito importante que você não demonstre estresse quando precisar deixá-lo.

– Dar mais atenção, de preferência a mãe deve atender, porque o medo dele é que a mãe não volte. Encha seu bebê de carinhos e diga que vai voltar.

 

Sono

O bebê costuma dormir de 10 a 12 horas por noite, além das sonecas diurnas. Geralmente, ele já tem esse período definido e consegue dormir bem sozinho.

A alteração no sono pode acontecer em consequência da angústia da separação, comentada acima. Alguns bebês chegam a acordar várias vezes a noite, chorando desesperados e assustados.

Para passar por essa fase com mais tranquilidade, continue mantendo a rotina da hora de dormir e tranquilizando o bebê de que você irá voltar em breve. Aos poucos, mesmo que ele acorde a noite, conseguirá voltar a dormir sem a sua presença.

 

Alimentação

De vez em quando, deixe o bebê sentir a textura dos alimentos com as mãos. Coloque uma roupa mais simples, dessas que ele usa mais para ficar em casa, deixe o babador e o pano a postos e libere a bagunça.

A brincadeira pode ficar mais interessante para ele se você incluir os talheres específicos para bebês da próxima vez.

Seu bebê imita o que você faz, então sempre que você estiver em casa, sente-se com ele à mesa e mostre que você come e é muito gostoso. Aproveite para estimular a linguagem falando o nome dos alimentos e fazendo sons como “hum”.

É bom amassar os alimentos separadamente, dessa maneira, o bebê verá a diferença das cores entre eles e sentirá os sabores variados, o que ajuda a trabalhar a visão e o paladar.

Seja um exemplo também com alimentos naturais e saudáveis. Por mais gostosos que possam ser, não ofereça, nem permita que ele consuma doces, mesmo os feitos em casa, frituras, produtos industrializados, processados. Não se sinta intimidada a negar se alguém quiser dar qualquer um desses alimentos.

A maioria desses alimentos contém corantes e aditivos químicos que podem causar uma forte alergia. Igualmente, observa se há reação para determinados alimentos. Converse com o pediatra.

 

Cada bebê é único

Por mais que você ache lindo o bebê da sua amiga ficando em pé sozinho ou tentando os primeiros passos, comendo de tudo ou por conta própria, tenha paciência se o seu ainda não faz.

Cada bebê é único e se desenvolve a seu tempo. Bebês prematuros podem demorar mais tempo. Também não queira acelerar esse processo de aprendizado com andadores ou forçando o bebê. Respeite os limites dele.

Share

Karla Mendonça

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *