O bebê de 1 ano e 1 mês

O bebê de 1 ano e 1 mês

A independência física e motora se torna mais marcante. Ficar restrito aos seus passos é algo que seu bebê já não quer tanto agora. Especialmente depois de descobrir que pode explorar sozinho, de certa forma, o mundo à sua volta.

Ele vai percebendo que tem capacidade de alcançar determinado brinquedo ou chegar em algum lugar apoiando ou, para alguns, usando as próprias pernas, o que é uma conquista incrível para ele. Aliás, muitos bebês dão os primeiros passinhos com essa idade, porém se não acontecer, não se desespere.

A visão é bem mais nítida, ele começa a perceber melhor o cenário ao redor. Combina palavras e gestos, associa muitas coisas a uma mesma palavra, então “bo” pode ser bola, banho, boneca, entre outros.

É importante sempre lembrar, que cada bebê se desenvolve em um ritmo próprio. Isso significa, que se o seu bebê não faz as mesmas coisas que outros da mesma idade, não se desespere. Converse com o pediatra a respeito do desenvolvimento do seu filho e evite, ao máximo, comparar com outros.

Para ter um pequena ideia de como deve estar o seu bebê de 1 ano e 1 mês, ou como alguns preferem 13 meses, e como você pode lidar bem com tudo isso, continue lendo.

 

Estímulos e Brincadeiras

A melhor forma para o bebê se desenvolver é permitir que ele explore o espaço em que está. Para isso, se certifique de que objetos pontiagudos e que quebram com facilidade estejam longe do alcance dele e proteja tomadas e cantos dos móveis.

O brincar, além de ser ótimo para o seu bebê, cria momentos incríveis. Os estímulos e brincadeiras são mais para aumentar o vínculo entre você e o seu bebê, se estendendo para o pai e outros membros da família, do que acelerar o desenvolvimento.

Preze mais por passar um tempo de qualidade juntos do que em forçar o bebê. Ao mesmo tempo, bebês costumam se concentrar uma média de 3 minutos, por essa razão, programe atividades simples.

Uma das brincadeiras tem relação ao estímulo para andar. Sente-se à uma distância de dois ou três passos de frente para o bebê e chame para que ele venha até você. Essa brincadeira pode ter outra versão com um brinquedo que ele goste. Procure se certificar que o chão é seguro, caso o bebê caia.

Para estimular a fala e a visão, uma sugestão é aproveitar o passeio ao ar livre para apontar e dizer o nome das coisas pelos quais vocês passam. Mostre o céu e fale “céu azul”, por exemplo, ou a grama e diga “verde”. Faça o mesmo com os carros, animais e outros objetos.

Uma orientação de especialistas é conversar bastante com o bebê e evitar falar de forma infantilizada. Contar histórias e cantar músicas simples também são formas que auxiliam muito a desenvolver essa parte.

 

Alimentação

Como o ritmo de crescimento nessa fase tende a desacelerar, em comparação aos primeiros meses, o bebê pode não comer tanto quanto antes. Também é nessa fase que ele irá definir o paladar e começar a ser mais seletivo com os alimentos, querendo mostrar suas preferências.

Se isso acontecer com o seu bebê, antes de perder a paciência, é preciso entender que essa fase é normal. Para passar por ela sem pirar, é importante se atentar aos seguintes fatores:

– Respeitar a fome do bebê

O estômago do bebê é bem menor do que o nosso, por isso não tem a necessidade de grandes quantidades de comida. Muitas vezes, algumas colheradas são o suficiente para deixá-lo satisfeito. Forçar o bebê a comer mais pode tornar o momento da refeição algo estressante.

– Observar o comportamento do bebê

Mesmo comendo pouco, se seu bebê tem uma boa aparência, aumento de peso adequado, brinca e dorme normalmente, significa que ele está bem alimentado. Agora, se ele está apático, demonstra fraqueza para as atividades diárias e perda ou menor aumento de peso, é bom consultar um pediatra.

– Qualidade é melhor que quantidade

Ofereça alimentos de qualidade em menor quantidade. Varie as opções de legumes e verduras durante as refeições, e nos intervalos, prefira frutas a alimentos industrializados. Também evite dar muitos petiscos.

 

Sono

O sono, em alguns casos, pode passar por uma mudança. Isso, porque o bebê passa por mais experiências durante o dia, o que acarreta em um sono possivelmente agitado, talvez com sonhos, que podem fazer com que ele acorde durante à noite.

Para lidar com isso, o melhor é continuar mantendo a rotina de sono, buscando acalmar o bebê, para que ele tenha um sono mais tranquilo. Procure observar ou saber, caso o bebê fique na creche ou berçário, por exemplo, se ele tem feito as sonecas diurnas. Muitas vezes, ele está tão cansado, que acaba brigando com o sono.

Para oferecer uma ajuda para resolver esse problema com o sono do seu bebê que o método Bebê Dorminhoco foi criado. Através da orientação de uma especialista no sono do bebê, você pode aprender como identificar o porquê do seu bebê não dormir e qual a melhor forma de solucionar isso. Entre em contato e faça parte do grupo de mães de bebês dorminhocos.

Share

Vitor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *