É normal bebê dormir muito?

É normal bebê dormir muito?

Mamães de primeira viagem têm muitas dúvidas sobre seus bebês, especialmente quando são recém-nascidos. A todo momento, medos, descobertas e aprendizagens vão surgindo conforme o tempo passa.

Uma das dúvidas tem relação com o sono do bebê. Muitas ficam bem preocupadas com a quantidade de horas que seus filhos dormem nos primeiros meses de vida. Essa inquietação acaba virando ansiedade e medo, diante de riscos como a morte súbita.

Muitas mães sonham em ter bebês que dormem bem, mas não conseguem relaxar durante essa fase. Ficam o tempo todo indo até o berço, verificando se tudo está bem. Em outras situações, parentes ou pessoas próximas questionam a respeito.

Se você, mamãe, não consegue relaxar quando seu bebê dorme ou ouve outras pessoas fazendo observações sobre o assunto, saiba que é muito normal o bebê dormir bastante nos primeiros três meses.

Quando o contrário acontece, o bebê pode ficar irritado, doente, ter o aprendizado prejudicado, e pode ser preciso averiguar se não há algum problema de saúde.

Para entender melhor, primeiro é preciso saber qual a quantidade de horas de sono recomendadas por especialistas e como isso influencia na qualidade de vida do seu pequeno.

 

Necessidades de sono do bebê

De acordo com uma tabela divulgada pela Sociedade Brasileira de Pediatria, um bebê recém-nascido precisa dormir de 16 horas a 20 horas, dividido em ciclos de soneca de 1 a 4 horas.

No entanto, recomenda-se que as sonecas não ultrapassem 2 horas de duração. Quando o bebê faz sonecas muito curtas, pode deixar que ele faça uma maior, com no máximo 3 horas.

Como nessa fase inicial o bebê ainda está aprendendo a viver fora do útero, é normal não ter horas muito certas para dormir e costumam acordar à noite. Essa irregularidade, porém, vai mudando conforme ele vai se adaptando à uma rotina.

Bebês até 1 mês também precisam ter as mesmas horas de sono. A partir do 2° mês, o total de horas reduz para 17 horas, divididas em 3 sonecas e 9 horas de sono noturno. Esse total de sonecas, porém, é uma média, já que bebês são únicos. São recomendadas de 3 a 5 sonecas.

Com 6 meses, é recomendado até 15 horas, sendo 11 horas de sono noturno, com 2 sonecas, mas alguns bebês ainda podem fazer até 3 sonecas. Com 1 ano, o bebê precisa dormir de 12 a 14 horas e a necessidade de sonecas vai reduzindo, com a recomendação de 11 horas de sono durante à noite.

Dormir o tempo recomendado não somente é benéfico para o bebê, como evita problemas como obesidade, atraso do aprendizado e desenvolvimento. Igualmente, regula os hormônios e o ciclo circadiano, resultando em um bebê muito mais feliz.

Reforçando que essa tabela é o tempo recomendado por pediatras para se ter um parâmetro. É preciso observar os sinais de sono do seu bebê, se ele fica mais irritado durante o dia, talvez precise de mais sonecas ou mais horas de sono.

A importância das sonecas

Assim como é normal seu bebê dormir muito no começo, tirar sonecas durante o dia faz parte do processo de desenvolvimento do bebê e são tão importantes, quanto o sono noturno.

Engana-se quem faz de tudo para o bebê ficar acordado durante o dia, com o pensamento que ele terá uma melhor noite de sono. Privar o bebê dessas horas diurnas de descanso, só vai prejudicar quando chegar a noite.

Acaba sendo um efeito dominó, ou seja, o bebê que não tira as sonecas, fica irritado e não consegue dormir direito à noite, e consequentemente dorme mal também de dia e não cria uma rotina ideal.

 

Criando uma rotina do sono

Bebês gostam de tudo sempre do mesmo jeito, se sentem mais seguros. Por isso, é muito importante criar uma rotina desde o nascimento, assim que o bebê iniciar a vida em família, o que deve acontecer em seguida a saída da maternidade – esse tempo varia para cada bebê.

Mesmo para bebês que mamam em livre demanda e intercalam mamar e dormir quase que constante nesse período, é possível criar uma rotina. Atividades para estimular o desenvolvimento podem ser encaixadas.

Estipule uma hora para o sono noturno. Crie uma espécie de ritual do sono, com um banho relaxante, massagem, roupas mais confortáveis, canção de ninar ou ruído branco, luzes apagadas ou reduzidas ao máximo.

Lembre-se que o bebê está aprendendo como dormir sozinho, por isso, tenha paciência e mantenha a rotina todas as noites. Os resultados vão aparecer em poucos meses.

 

Riscos de Morte Súbita

Se esse medo faz com que você, mamãe, fique apreensiva por seu bebê dormir tantas horas no passar do dia e também à noite, existem algumas precauções, indicadas por pediatras, que irão eliminar os riscos de morte súbita.

O primeiro deles é sempre deitar o bebê de barriga para cima. Não importa o que sua mãe, avó ou tia falem, essa é a posição correta. O bebê tem mais facilidade para respirar e virar o rosto em caso de regurgitação.

Elimine cobertores, lençóis, travesseiros e outras decorações do berço, que representam um perigo para sufocamentos ou aumento da temperatura do corpo do bebê. Se estiver frio, o mais recomendado é agasalhar bem o seu bebê, vestindo-o por camadas, ou seja, roupa por cima de roupa.

Não esqueça de fazer o bebê arrotar após a mamada, antes de colocá-lo no berço. Isso reduz a possibilidade do leite voltar e fazer com que ele engasgue. E para se sentir mais tranquila, existem as babás eletrônicas.

 

Buscando ajuda profissional

Se você quer uma ajuda de quem realmente entende do sono do bebê e vai saber orientar sobre como criar a rotina ideal para o seu bebê, acesso o site Bebe Dorminhoco e conheça mais sobre o curso criado pela nutricionista,  especialista no sono do bebê, neuropsicopedagoga infantil, pós graduanda em neurociência, mestranda em educação, coach I.S e mãe, Karla Mendonça.

Através do curso, você vai aprender a deixar o ambiente propício para seu bebê dormir a quantidade de horas suficientes para crescer saudável e feliz e vai poder ter um bebê dorminhoco, que dorme até 12 horas noturnas, sem medo.

 

Como resgatar o sono natural, profundo e relaxante do seu bebê?

Se você chegou até aqui, imagino que a situação aí esteja difícil, não é? Eu sei como é esse desespero para buscar informações que nos tragam a resposta que precisamos para fazer o nosso bebê dormir bem e podermos, finalmente, curtir a maternidade.
Pois bem, pensando nisso eu criei um artigo completo contando a minha história, os erros que cometi e, o melhor, como eu saí ‘dessa’.
Para acessar agora, aperte o dedo no link abaixo e depois me conta o que achou, tá?

 

Share

Avatar
Karla Mendonça

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *