Posso ameaçar meu filho para ele me obedecer?

Posso ameaçar meu filho para ele me obedecer?

Quando nasce um filho, nasce também uma mãe, e mães são sempre otimistas e sonhadoras. Sabem exatamente como vão educar os filhos, o que fazer e o que não fazer. Mas na prática, tudo muda de figura. As crianças não obedecem e você já não sabe mais o que fazer ou qual método usar. Tudo parece gerar frustração, sentimentos de incapacidade, crianças ansiosas, birrentas e mimadas pelas facilidades que encontramos para ter paz.

Sim! A maternidade é algo mais prazeroso que já vivi nessa vida, mas também a mais trabalhosa, sem dúvida!  Muitas vezes queremos gritar, ameaçar ou simplesmente dar o que a criança quer, para termos um pouco de paz e sossego. O que precisamos saber é que essas atitudes estão alimentando a desobediência, a ansiedade e as birras de seu filho.

Ameaçar os filhos para que eles obedeçam não é uma boa escolha. Essa é a parte trabalhosa de ser mãe, educar e ter filhos obedientes sem impor medos, ameaças agressivas e gritos.

Em primeiro lugar, você já se perguntou o que acontece se você ameaçar seu filho e ele não obedecer e você não puder cumprir sua ameaça? 

Simplesmente, suas ameaças vão virar uma piada. A criança vai se engajar em comportamentos ainda mais errados sabendo que a mamãe não vai fazer nada. 

Um lado positivo das ameaças não cumpridas é que elas podem indicar um desconforto por parte dos pais em serem agressivos, e isso é muito positivo. Pois não queremos e nem apoiamos pais agressivos, e a agressividade não vai te beneficiar para ter um filho mais obediente, harmonioso e sem birras.

 Ao invés de ameaças, você pode estipular regras reais. Precisamos ser claros, objetivo e consistente com as regras dadas aos nossos filhos.

Todas nós mães, queremos o melhor para nossos filhos, queremos que eles se desenvolvam com amor, tranquilidade. Que aprendam a lidar com a vida de maneira respeitosa e saibam se relacionar com as pessoas de maneira boa, eficaz e muito justa. 

Queremos que nossos filhos se tornem pessoas de bem, com sucesso em sua carreira e relacionamentos. Não é verdade?

Para que tenhamos essa relação harmoniosa com os pequenos e possamos juntos desfrutar de momentos agradáveis em família, é preciso ter habilidades na hora de educar, ensinar e mostrar a criança que o que ela está fazendo é errado.

Essas habilidades não envolvem agressividade, gritos e braveza. Envolvem paciência, conversa firme, porém brandas e com amor. 

As crianças precisam ter respeito pelos pais e não medo.

 

 

Demonstre confiança para seus filhos.

Seja firme e consistente com tudo que falar para o seu filho, assim ele saberá que pode confiar no que você falar! 

Mas, além disso, valorizem, ao máximo, os comportamentos adequados deles, você pode se surpreender com o poder da atenção! 

Dar atenção aos sentimentos e ações dos seus pequenos, o resultado será muito mais satisfatório.

Muitas crianças fazem manha, birras, não obedecem ou ignoram porque estão sentindo algo. Esses sentimentos muitas vezes precisam sair, mas os pequenos não sabem como lidar. 

Muitos pais trabalham fora, e se sentem culpados por não ter tanto tempo para as crianças quanto gostaria, e dão presentes em troca dessa falta. Ou até mesmo erram na maneira de falar e impor o respeito que a criança precisa para obedecer.

Quando na verdade, eles precisam apenas ser compreendidos e também de ajuda para entender seus próprios sentimentos. 

Ao educar as crianças, os olhares dos pais devem estar nos sentimentos das crianças e não 100% nas ações dos pequenos. Os pequenos agem por impulso de seus sentimentos.

Se estiverem ansiosos, com saudade dos pais, vão chamar a atenção fazendo birras, desobedecendo, chamando a todo tempo. 

Nós pais, temos que aprender a ouvir e compreender os sentimentos dos filhos, e dessa maneira tratar seus sentimentos com amor, paciência e criar um ambiente familiar mais agradável, trazendo para a criança segurança, alegria. Dessa forma, os pequenos vão conseguir esperar, obedecer e cumprir regras com mais facilidade e felicidade.

 

 

Share

Avatar
Karla Mendonça

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *