O que é icterícia neonatal?

O que é icterícia neonatal?

Muitos bebês podem desenvolver a icterícia neonatal, esse é um problema que acomete grande parte dos recém-nascidos quando possuem uma alta taxa de concentração de bilirrubina no sangue. 

 

A bilirrubina causa um aspecto amarelado à pele do bebê e em casos graves pode causar o comprometimento de suas funções neurológicas, por isso deve ser tratada assim que identificada. 

 

O aparecimento da icterícia neonatal pode ser motivo de grande susto para os pais e família, por esse motivo a Bebê Dorminhoco desenvolveu um blog completo sobre a icterícia e sobre como os pais devem agir nessa situação. 

 

Afinal, o que é icterícia?

Durante o processo natural de destruição de hemácias senescentes realizado em nosso organismo humano são liberadas como resultado desse processo um pigmento chamado de bilirrubina.

 

As hemácias senescentes são destruídas por estarem no fim de seu tempo de vida, vale lembrar que em recém-nascidos o tempo de vida das hemácias é inferior aos de um adulto.

 

A icterícia é uma síndrome que é caracterizada pelo amarelamento da pele e das secreções fisiológicas, que acontece por meio da concentração de forma excessiva de bilirrubina na corrente sanguínea. 

 

Dessa forma, a icterícia se desenvolve quando ocorre a destruição dessas hemácias de forma desequilibrada, resultando no quadro. 

 

Para ser eliminada pelo organismo a bilirrubina precisa chegar até o fígado a fim de ser transformada em um conteúdo solúvel em água para posteriormente ser excretada através da urina e fezes. 

 

O fígado de um recém-nascido bem como suas funções hepáticas ainda não estão completamente desenvolvidos, por esse motivo é comum que os sintomas de icterícia recém-nascido sejam prolongados. 

 

Como a icterícia aparece em um recém-nascido?

O desenvolvimento da icterícia em recém nascidos pode acontecer em decorrência de alguns fatores como pela secreção excessiva de bilirrubina, redução na capacidade hepática de captação desse pigmento, conjugação da bilirrubina no fígado ineficiente ou pouca excreção do pigmento. 

 

Essa condição também pode se desenvolver como um fator patológico, podendo ser associada ao desenvolvimento de outras doenças como a anemia, sepse e hiperbilirrubinemia.

 

Além disso, também pode se desenvolver em decorrência da amamentação, quando substâncias no leite materno quando em contato com a bilirrubina no organismo dificultam o processo de excreção do pigmento. 

 

A fim de identificar com mais clareza o nível de icterícia em um recém-nascido, usa-se a avaliação das zonas de kramer, que consiste na digitopressão sobre a pele do bebê com o auxílio da luz natural. 

 

As zonas de kramer são classificadas da seguinte forma:

 

  1. Zona 1: cabeça e pescoço, concentração média de bilirrubina total de 6 miligramas por decilitro de sangue. 

 

  1. Zona 2: cabeça e pescoço até o umbigo, concentração média de bilirrubina total de 9 miligramas por decilitro de sangue. 

 

  1. Zona 3: cabeça, pescoço, umbigo até os joelhos, concentração média de bilirrubina total de 12 miligramas por decilitro de sangue. 

 

  1. Zona 4: cabeça, pescoço, umbigo, joelhos até os tornozelos e antebraços, concentração média de bilirrubina total de 15 miligramas por decilitro de sangue. 

 

  1. Zona 5: cabeça, pescoço, umbigo, joelhos, tornozelos e regiões palmar e plantar, concentração média de bilirrubina total de 18 miligramas por decilitro de sangue. 

 

Porém para que a icterícia seja diagnosticada de forma correta, é necessário que o bebê realize um exame de dosagem sérica de bilirrubina total. 

 

A icterícia grau alto em bebês pode resultar em sequelas como o comprometimento das funções neurológicas, lesões cerebrais, perda do tono muscular e ao desenvolvimento de crises convulsivas.

 

O que eu faço se meu bebê estiver com icterícia?

Mesmo sendo uma condição que pode se apresenta de maneira assustadora para as famílias, pois muda o aspecto da pele do bebê, recomendamos que as famílias tenham calma durante o tratamento da icterícia. 

 

Em primeiro lugar busque e siga as orientações de um médico pediatra, só ele poderá diagnosticar de forma correta a condição no bebê. 

 

O tratamento indicado pelo médico pode incluir o uso da fototerapia, onde o bebê fica exposto à luzes que absorvem o excesso de bilirrubina no sangue, durante o tratamento o recém-nascido fica apenas de fralda e com protetores oculares. 

 

Em casos mais graves é possível que haja a necessidade da exsanguineotransfusão, que consiste na troca do sangue do recém-nascido por um de um doador compatível.

 

A amamentação também é um forte instrumento de defesa contra a icterícia neonatal, pois contribui com a redução da bilirrubina pelo organismo da criança. 

 

Por isso, fique ao lado do seu filho e ofereça leite materno de forma livre ao seu bebê e claro, confie nas orientações dos médicos, que contem a experiência necessária para tratar a icterícia sem que essa condição interfira ou colabore para o aparecimento de sequelas. 

Leia também sobre dicas para pais de primeira viagem.

Esteja ao lado do seu bebê durante todas as etapas do seu desenvolvimento

É comum o aparecimento da icterícia durante a primeira infância, assim como é comum a manifestação e desenvolvimento de várias outras condições, porém estar ao lado do seu bebê é o que torna toda a experiência mais fácil de ser ultrapassada para o bebê e para os pais. 

 

O estreitamento da relação entre os pais e os filhos pode trazer uma série de benefícios à infância da criança, podendo ajudar até na hora do sono do bebê. Atente-se sempre a detalhes que possam estar interferindo com a qualidade do sono do seu filho e conte com a Bebê Dorminhoco que oferece Métodos com o intuito de promover noites tranquilas aos pais e bebês. 

 

Transforme agora as noites de sono da sua família, conheça os Métodos da Bebê Dorminhoco.

Share

Vitor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *