O bebê pode dormir com os pais?

cheerful parents having fun with their baby boy in QM2TUJA scaled

Na hora do bebê que acabou de nascer pegar no sono, o que os pais mais têm dúvida é se ele pode ou não dormir na cama dos pais.

Nos últimos  anos tem havido um aumento do uso da cama compartilhada nos Estados Unidos. Mas será que vai funcionar para minha família? Será que é seguro para meu bebê? Será que vamos dormir bem com um bebê entre nós?

São dúvidas válidas e por isso vamos discutir nesse artigo se o bebê pode ou não dormir com os pais. Vamos ver alguns prós e contras relatados por algumas mamães:

PRÓS do bebê dormir com os pais

  • Facilidade no Aleitamento (livre demanda à noite);
  • As mães podem reagir mais rápido às necessidades do bebê;
  • Pais que passam o dia todo fora podem desfrutar esse tempo com seu bebê;
  • PERGUNTAS: A cama compartilhada é um mau hábito? Com certeza não! A cama compartilhada é uma opção da família e se a família está feliz então é um ótimo hábito;
  • Tem como fazer cama compartilhada e ter hábitos saudáveis de sono? Sim. A cama compartilhada é apenas o local onde o bebê dorme, não significa que por dormir na cama ele não pode ter hábitos saudáveis de sono;
  • OBS: Sempre siga as medidas de segurança para cama compartilhada

 

 CONTRAS do bebê dormir com os pais

  • Alguns pais relatam que não conseguem relaxar e dormir profundamente por ficarem muito alertas sabendo que seu bebezinho está na cama;
  • Bebês fazem muito barulho e até choram dormindo. Sério? Sim!!!! Então, se o bebê está na cama com os pais, às vezes ele pode voltar a dormir sozinho — o que é importante para o amadurecimento do sono do bebê —, mas os pais podem achar que ele acordou e então pegá-lo no colo ou amamentá-lo — e o bebê não aprende a voltar a dormir sozinho.
  • O quarto dos pais vai ser o quarto do bebê por alguns anos.
  • Alguns pais relatam não ter um tempo para conversarem, namorarem;
  • Alguns especialistas afirmam ser importante que a criança desenvolva sua individualidade, o que começa a acontecer no próprio quarto.
  • E com a chegada do novo irmão, será que ele vai achar que temos preferência pelo novo irmãozinho? Já que ele vai ter que sair da cama pro bebezinho dormir ali conosco? Seria possível todos dormirem juntos na mesma cama?
  • Bebês se acostumam a ter companhia na cama e a mãe precisa se deitar muito cedo, pois se a mãe se levanta da cama o bebê acorda;
  • Se um dos pais beber, naquela noite ele não deve dormir na mesma cama que o bebê; e se os dois beberem? Faz-se totalmente necessário que o bebê durma no berço;
  • Quando não há consenso de ambos pais a cama compartilhada pode se tornar um problema para o casamento;
  • A Sociedade Americana de Pediatria não recomenda, por segurança, mas recomenda compartilhar o quarto;
  • Existe um risco maior de morte súbita associado ao uso da cama compartilhada.

Analisando os prós e os contra podemos concluir que os bebês podem dormir com os pais, mas estes precisam se sentir seguros e também conseguir ter um sono de qualidade.

Para que o bebê possa dormir entre vocês, é preciso tirar alguns objetos perigosos da cama, como cobertores e travesseiros. O que pode trazer desconforto para alguns pais.

O bebê precisa estar seguro e os pais precisam estar confortáveis.

Cada família deve avaliar o que é melhor e mais confortável. O que é contra para uma família pode não ser para a sua. Estude e avalie o que vai funcionar melhor para vocês, curta seu bebezinho e esse momento maravilhoso de crescimento e desenvolvimento do bebê.

 

Como resgatar o sono natural, profundo e relaxante do seu bebê?

Se você chegou até aqui, imagino que a situação aí esteja difícil, não é? Eu sei como é esse desespero para buscar informações que nos tragam a resposta que precisamos para fazer o nosso bebê dormir bem e podermos, finalmente, curtir a maternidade.
Pois bem, pensando nisso eu criei um artigo completo contando a minha história, os erros que cometi e, o melhor, como eu saí ‘dessa’.
Para acessar agora, aperte o dedo no link abaixo e depois me conta o que achou, tá?

Share

Karla Mendonça

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *