O bebê de 4 meses

O bebê de 4 meses

Muitas mudanças acontecem nos 4 meses do bebê. Ele está muito mais firme, presta mais atenção às coisas, vocaliza novos sons e reconhece quando o chamam pelo nome.

As interações e estímulos são bastante responsivas e ele já explora as possibilidades de todos os sentidos, sendo que o olfato, a audição e o paladar são desenvolvidos já no útero.

 

Visão

A visão vai ficando melhor e ele consegue enxergar cores, o que torna os brinquedos e as coisas ao seu redor muito mais atraentes.

Uma pesquisa realizada no Instituto de Tecnologia de Massachusetts mostrou que o córtex visual do cérebro de um bebê de 4 meses e de um adulto possuem a mesma organização estrutural, por isso seu bebê reconhece rostos, objetos e situações.

Para estimular e desenvolver bem esse sentido continue apostando nos móbiles, coloque brinquedos coloridos próximos a ele, mostre fotos e imagens e durante o passeio, chame a atenção dele para tudo o que ele possa ver.

Outro estímulo divertido é colocar o bebê em frente a um espelho. A brincadeira fica por conta de você também aparecer no reflexo e se esconder.

 

Tato

O tato fica mais evoluído e com maior sensibilidade. O bebê usa mais as mãos e já consegue esticar os braços para pegar os objetos ao seu redor ou que são oferecidos, ainda que não tenha muita firmeza para isso.

A forma que eles preferem para explorar esses objetos é levando à boca. Por isso, evite oferecer chaves, por exemplo, pois passam por vários lugares, ficando cheios de microrganismos nocivos ao bebê.

Ele também descobre os pés. Se não acontecer de imediato, mostre a ele quando estiverem brincando juntos.

Para estimular esse sentido ofereça objetos com texturas diferentes. Tapetes infantis com penduricalhos e lugares para apertar ou explorar, que fazem barulhos quando tocados, são ótimos para descobertas.

 

Audição e Linguagem

O bebê ouve muito bem desde a gestação. Aos 4 meses, ele reconhece o próprio nome e se vira para olhar quando é chamado.

Emite uma variedade maior de sons, com gritinhos quando ouve a sua voz. E a parte mais linda dessa fase: alguns bebês começam a dar gargalhadas. Aquelas que encantam em vídeos na internet. Se o seu for um pouco mais sério, não se preocupe, continue brincando e estimulando reações, que quando menos você esperar, estarão rindo juntos.

Sempre converse muito com seu bebê. Repita os sons que ele emite e mostre imagens que reproduzem sons.

 

Movimentos mais firmes, atenção redobrada

Ele está com a cintura mais firme. Quando segurado em pé, consegue sustentar o tronco por pouco tempo. Faça esse exercício, por alguns minutos. Vai auxiliar no fortalecimento e no desenvolvimento também da visão, que será explorada.

Começa a virar de bruços sozinho. Redobre sua atenção e nunca deixe o bebê sozinho em cima da cama, do sofá, do trocador ou de qualquer lugar alto, para evitar quedas e acidentes graves.

O lugar recomendado é em cima de um cobertor macio no chão. Ele vai brincar muito e em segurança. Se estiver em outro lugar, sempre sob supervisão.

Também é possível colocar o bebê sentado em um ângulo de 45° com o apoio de uma almofada e se for no carrinho, não se esqueça do cinto.

 

Vacina

É a vez da 2ª dose das seguintes vacinas:

– Pentavalente, que protege contra difteria, tétano, coqueluche, hepatite e meningite B;

– VIP – Poliomielite

– VORH – Rotavírus

– Pneumocócica 10

Geralmente provoca reação, como dor no local da picada, sim é uma injeção, que vai fazer seu pequeno chorar um pouco, irritação e febre. Mas pense que antes 48 horas com seu filho enjoadinho e manhoso em casa, a uma internação por mais tempo devido a uma doença mais séria.

A vacinação é de extrema importância para proteger a saúde do seu bebê e evitar o reaparecimento de doenças que causam muitos males. E se você está pensando em deixar seu bebê na escolinha, é interessante blindar contra, porque pode ser que ele tenha algumas viroses, pelo contato com outras crianças.

 

Alimentação

Ele não tem tanta fome quanto nos primeiros meses, se alimentando com menor frequência. Com o estômago maior, é normal ter o apetite mais tranquilo.

Claro que isso não vai interferir no crescimento dele, que continuará engordando, porém em um ritmo menor. E continua sendo exclusivamente leite materno ou fórmula, ainda que algumas pessoas estejam ansiosas pela introdução de novos alimentos, porém converse com seu pediatra antes.

Alguns meses de espera farão diferença na saúde do bebê, reduzindo o risco de reações alérgicas.

Como ele está mais ativo, qualquer distração fará ele parar de mamar para olhar o que acontece. Uma dica é, se puder, amamentar em um lugar mais tranquilo.

 

Hora de voltar a trabalhar

A licença-maternidade de determinadas empresas termina depois de 4 meses do nascimento do seu bebê. Nesse momento, já deve ser decidido se o bebê vai para o berçário ou quem ficará responsável por ele, no período que você não estiver presente.

Se a opção for por uma babá, inicie a interação do bebê com ela antecipadamente. Ele precisa se sentir à vontade. Para escolher, peça referências, avalie conhecimentos e experiência.

A escolha pela escola ou berçário segue critérios como a estrutura, referência de qualidade e localização.

É uma situação bem delicada, tanto para você, quanto para o seu bebê, então não se sinta culpada ou incapaz se não conseguir voltar ao trabalho. Avalie suas prioridades e necessidades e decida se existe a possibilidade de você ficar em casa.

Atualmente, existem muitas formas de ganhar dinheiro trabalhando em casa e muitas empresas estão aderindo ao sistema home office. O importante é que você e seu bebê fiquem bem.

Share

Karla Mendonça

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *