Cadeirinha de bebê: qual o tipo ideal para cada idade?

Cadeirinha de bebê: qual o tipo ideal para cada idade?

Você sabia que o uso da cadeirinha de bebê é obrigatório para garantir a segurança do transporte das crianças em carro?

Também chamada de bebê conforto, cadeirinha de bebê ou assento de elevação, no Brasil, desde 2008, o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) determinou que esse equipamento é obrigatório para crianças até os sete anos e meio de idade. Inclusive sendo passível de multa, caso haja o descumprimento desta resolução. 

No entanto, apesar da obrigatoriedade e importância da cadeirinha de bebê, muitos familiares e responsáveis seguem com dúvidas sobre qual é o tipo ideal para cada idade. E, por isso, a Bebê Dorminhoco preparou esse artigo!

Vamos ver qual o tipo de cadeirinha ideal para cada idade para que você não corra nenhum risco na hora de proteger o seu pequeno em cada passeio de carro que vocês fizerem! Vamos lá? Continue a leitura conosco.

 

Por que é tão importante usar a cadeirinha de bebê?

O uso da cadeirinha de bebê em carros para o transporte dos pequenos tem um único objetivo: proteger a vida deles em caso de acidentes. Para você imaginar, um estudo da Mapfre Brasil mostrou que morrem 32 crianças no trânsito, para cada milhão de habitantes de 0 a 14 anos em território nacional. 

Grande parte dessas mortes estão atreladas ao não uso das cadeirinhas para bebês. 

O estudo ainda apontou que o uso correto do bebê conforto reduz em mais de 50% o risco de lesões graves, caso o automóvel se envolva em uma colisão. Porém, apesar desses e outros dados que atestam a importância da cadeirinha de bebê, ainda existem pais e familiares que acham exagerada a compra, ou negligenciam o uso a partir de determinada idade da criança. 

Por isso, vamos ver até quando é preciso usar a cadeirinha de bebê, se existe uma para cada idade, entre outras informações. Veja a seguir! 

 

A “Lei da Cadeirinha”

A Resolução 277 do Contran, também conhecida como a “Lei da Cadeirinha”, está em vigor no Brasil desde 2008, e dispõe de normas e regras para o transporte seguro de crianças menores de dez anos em carros e outros automóveis. 

Essa resolução determina, inicialmente, que crianças menores de dez anos devem ser transportadas indiscutivelmente nos bancos traseiros do carro, usando o cinto de segurança.

Além disso, até os sete anos, elas devem estar asseguradas pelo equipamento de retenção adequado, ou seja, a cadeirinha de bebê, bebê conforto ou assento de elevação. 

Durante o deslocamento de um veículo, a criança também está em movimento na mesma velocidade, de forma que, se o carro parar de repente, a criança é lançada para o banco dianteiro. 

Sem a cadeirinha, os efeitos desse impacto são ainda piores, pois partes mais sensíveis do corpo do seu pequeno, como cabeça e tórax, ficam expostas a lesões graves. Imagina que perigo?

Ah, e vale lembrar da importância da morfologia do seu filho, tá? A altura dele é muito importante para definir a obrigatoriedade do uso da cadeirinha infantil. 

Se ele já passou dos 7 anos, mas ainda não chegou a 1,45 m de altura, ainda precisa usar o assento de proteção. 

 

Qual o tipo de cadeirinha certa para cada idade?

Bebê conforto: de 0 a 1 ano

O bebê conforto é a primeira cadeirinha que o seu bebê deve ter. Ela deve acompanhar todos os passeios do seu pequeno até ele completar o primeiro ano, ou atingir o peso máximo indicado pelo fabricante, que geralmente gira em torno dos 13kg. 

Esse equipamento tem o formato de concha, pensado exclusivamente na melhor acomodação do bebê, e deve sempre ser instalado de costas para o movimento do veículo. Ou seja, com o pequeno de frente para o vidro traseiro, em um ângulo de inclinação de 45º. 

 

Cadeirinha: de 1 a 4 anos

Passado o primeiro aninho, é hora de começar com a cadeirinha de bebê, que vai acompanhar o seu pequeno até por volta dos 4 anos. Vale reforçar que essa cadeirinha de bebê é para o transporte entre 9kg e 18kg, geralmente. 

Por terem a sua estrutura mais vertical que o bebê conforto, as cadeirinhas devem ser instaladas de frente para o deslocamento do carro. Este é um equipamento muito seguro para as crianças que são mais conscientes em relação aos movimentos do pescoço e cabeça.

Outro motivo que atesta a segurança deste equipamento, é o fato de eles terem cintos de segurança integrados em pontos estratégicos que ajudam na distribuição da energia para o impacto do corpo do bebê em casos de colisão. 

 

Assento de elevação: de 4 a 7 anos e meio de idade

O assento de elevação também é conhecido como booster, e deve ser usado em crianças que passaram dos 4 anos ou estão entre 15kg e 36kg. 

Porém, ao contrário dos outros dois que citamos acima, que são fixados ao carro e utilizam o cinto próprio para posicionar a criança, o assento de elevação prende simultaneamente o assento ao banco e a criança à cadeira com um cinto de segurança de três pontos.

O que isso quer dizer? Que o assento de elevação permite que o cinto passe pelos locais corretos do corpo do seu pequeno: ombro, peito e quadris. 

 

Cinto de segurança: a partir de 7 anos e meio de idade

Se o seu filho passou dos 7 anos, ou já tem mais do que 1,45m de altura, é hora de usar o cinto de segurança do carro sem problemas. Nessa idade e altura, é esperado que o seu pequeno consiga apoiar as costas no encosto e dobrar os joelhos no assento para ficar bem posicionado. 

E nada de deixar o seu filho ir para o banco da frente, tá? Mesmo que ele faça a birra que for, achando que é grandinho o suficiente. A criança só pode sentar no banco da frente a partir dos 10 anos, ou se estiver dentro dos limites de tamanho permitidos. Com segurança não se brinca! 

E aí, gostou do nosso artigo? A Bebê Dorminhoco é uma consultoria especializada em fortalecer a sua relação com o seu filho, promovendo sempre a harmonia familiar, o bom comportamento e, mais ainda, a recuperação das suas noites de sono

Se tiver alguma dúvida, entre em contato conosco! 

Share

Karla Mendonça

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *