Birra de criança de 2 anos. Como lidar?

Two year old boy watching tv

Crianças de dois anos costumam ser desafiadoras para os pais, elas estão descobrindo um novo mundo e uma nova capacidade de conseguirem ter suas vontades atendidas.

A birra infantil é diferente para cada fase da criança e a forma que os pais vão lidar com as birras também mudam de acordo com a idade e desenvolvimento dos pequenos.

As crianças que estão entre os dois e os três anos de idade têm muitas habilidades, mas controlar as suas emoções, não é fácil para esses pequenos.

As birras são bastante comuns nesta idade. É nessa fase que as crianças pequenas começam a tornar-se independentes, e desenvolvem as suas próprias ideias, necessidades e desejos. Porém, ainda são pequenas para expressarem os sentimentos.

Nessa fase as crianças de 02 e 03 anos costumam dizer: “Não!”, “É meu!”, “Sou eu que mando”. Também testam os pais pondo as regras à prova uma e outra vez.

Outro ponto sobre as birras em crianças de 02 anos é que elas ainda não sabem partilhar, por isso se frustram quando alguém pega algo que elas querem ou que é delas.

Essa fase é a de explorar e conhecer. As crianças dessa idade necessitam de muitas atividades divertidas, tempo para brincar e oportunidades para explorar o mundo.

Vale lembrar que as crianças sentem o impacto de mudanças assim como nós adultos, apenas lidam com isso de uma forma diferente, e pode ser com birras. Por exemplo, divórcio dos pais, mudanças de horários, casa, nova escola, etc…

É interessante lembrar que essa fase vai passar!

Uma pesquisa realizada por cientistas portugueses identificou alguns dados importantes sobre a birra infantil: foi analisado que entre os 2 e os 3 anos, aproximadamente 20% das crianças apresentam birras pelo menos 1 vez por dia e de 50 a 80% têm birras pelo menos 1 vez por semana.

Com o tempo as birras vão ser cada vez menos aparentes e as crianças vão aprender a lidar com suas emoções.

 

Como lidar com a birra de filho de 2 anos

A maneira mais eficaz de lidar com a birra é antes de tudo elaborar uma rotina para o seu filho onde ele possa compreender o tempo e o horário dele brincar. Claro que temos exceções, não é? Quando a criança está em uma festinha, ou na casa dos primos, ou no parque. Essas atividades que fogem da rotina devem ser tratadas de outra forma. O ideal é que aos poucos as crianças aprendam a lidar com sua frustração de ter que ir embora e não poder brincar mais, ou de não querer comer determinada 

Avalie o comportamento do seu filho e ajude-o a entender que mesmo com a frustração, o comportamento não é adequado. É natural que a criança fique triste, afinal de contas a brincadeira foi uma delícia, certo?  Nesse caso o seu filho vai ficar triste porque não queria ir embora e parar com a brincadeira, mas o comportamento dele nesse momento é o que precisa ser avaliado. Ficar triste tudo bem, mas fazer birra é o que não pode.

Elabore uma rotina para a criança e cumpra o máximo. Quando as crianças têm uma rotina, elas já sabem que o tempo vai acabar e a brincadeira vai parar e isso ajuda a criança a não criar expectativa e não fazer birra no momento de parar de brincar para comer, tomar banho, ir dormir ou estudar.

Combine algo com seu filho antes. Estipule um tempo para que seu filho termine de brincar, combine quando ele pode comer aquele doce desejado, quanto mais tempo pode ficar na tv… Compreender o desejo de seu filho é importante. Ele está frustrado, pois gostaria de continuar com sua brincadeira. Nesse momento você pode optar em deixar que ele brinque por mais alguns minutos. Avise-o que terminará em 10 minutos, por exemplo.

Se conecte com as emoções da criança e tente compreender seus sentimentos de frustração, ao invés de puni-los pelo comportamento. As crianças precisam ser respeitadas. Os pais precisam ter cuidado na hora de ensinar seus filhos. O ideal é fazer a criança entender que seu comportamento inadequado pode ser modificado. Os pais não devem usar de hostilidade e humilhação. Crianças que são punidas e ensinadas com atos de humilhação e hostilidade, tendem a crescer achando que são inferiores e incapazes. As crianças se comportam de acordo com seus sentimentos, o ideal é que os pais ou cuidadores da criança usem de encorajamento e compreensão para ensinar a criança a mudar aquele comportamento. A criança precisar se sentir capaz de mudar no comportamento e sentir amor no momento de serem ensinadas, elas precisam sentir que são compreendidas. 

É importante compreender que as crianças nessa idade ainda são emocionalmente imaturas e não sabem lidar com os sentimentos de frustração. Cabe aos pais dar-lhe segurança ajudando a criança a lidar com o tipo de sentimento que as aflige.

Share

Avatar
Karla Mendonça

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Usamos cookies em nosso site para fornecer a experiência mais relevante, lembrando suas preferências e visitas repetidas. Ao clicar em “Aceitar todos”, você concorda com o uso de TODOS os cookies. No entanto, você pode visitar "Configurações de cookies" para fornecer um consentimento controlado.