Bebês sonham? Entenda a relação

Bebês sonham? Entenda a relação

Uma dúvida muito comum sobre o sono dos bebês diz respeito à questão: os pequenos sonham ou não? Esse questionamento provavelmente já passou pela cabeça de todos os pais em algum momento. E a resposta é, sim, os bebês sonham.

Na verdade, os pequenos costumam sonhar mais que uma pessoa adulta, por exemplo. É durante o sono que os bebês passam por uma grande atividade cerebral, o que pode indicar sonhos cheios de lembranças e vivências presenciadas até então.

Mas, que experiências podem ter um bebê? Neste artigo, nossa equipe reuniu as principais informações a respeito de como os bebês sonham e como um bom sono pode influenciar no desenvolvimento da criança. Acompanhe e boa leitura!

Como ocorre o sonho dos bebês?

Segundo estudos do psicólogo David Foulkes (um dos maiores nomes em pesquisa na área de sonhos de crianças), até os bebês fazerem 1 ano, eles não necessariamente sonham. O mais curioso é saber o porquê isso ocorre!

Os pequenos costumam passar a maior parte do tempo que estão dormindo na fase REM, também conhecida por “movimentos rápidos dos olhos”. Para melhor exemplificar, cerca de somente um quarto do sono dos adultos ocorre nessa fase REM (estágio que os adultos sonham).

No entanto, o pesquisador defende a ideia de que é muito improvável que os bebês passem todo esse período sonhando. Isso porque o cérebro deles ainda está em desenvolvimento, além de que possuem pouquíssimas experiências de vida para terem tantos sonhos assim.

Bebês aprendem enquanto dormem?

Bebê sorridente deitando em lençóis azuis.

 Fonte: (Reprodução/Internet)

Folkes acredita que os bebês aproveitam a fase REM com outro intuito, mas tão importante quanto: aprender. Em outras palavras, é durante o sono que os bebês fazem melhores conexões (sinapses), o que ajuda os pequenos a consolidarem os conhecimentos adquiridos durante o dia. 

Um exemplo disso, é que costumamos adquirir a nossa linguagem-mãe dentro deste período.

Depois do primeiro ano de vida, os especialistas acreditam que os sonhos dos bebês se iniciam, porém de uma forma pouco diferente dos adultos. É preciso lembrar que os pequenos ainda não conseguem imaginar, criar ou lembrar de histórias; sendo assim, seus sonhos são extremamente mais simples. 

O comum é que os sonhos dos pequenos sejam mais compostos por figuras mais estáveis, sem muita movimentação ou história por trás. Poucas emoções e quase nenhuma recordação da experiência também marcam o sono dos bebês.

Apenas por volta dos 7 anos que as crianças começam a ter sonhos mais parecidos com os dos adultos, uma vez que seguem uma história mais consolidada e realista do que antes. 

Leia também: Como Regular a Rotina de Sono do Bebê

E fetos? Também sonham?

Se você é daquelas pessoas que pensa que um bebê só chuta e dorme enquanto ainda está no ventre da mãe, temos uma novidade: os bebês fazem muito mais do que isso, eles até sonham.

Pesquisas mostram que os fetos realmente sonham, principalmente a partir do 8º mês de gravidez, quando o desenvolvimento do bebê está quase pronto.

Não está claro qual é o estado de sonho do feto, porque nosso estado de sonho é usado para processar e armazenar alguns fatos que ocorrem em nossa vida diária, que são capturados por nossa mente subconsciente.

Como o bebê no útero não pode ver nada, supõe-se que os sons e sensações que ocorrem no cotidiano da mãe e são transmitidos ao feto devem constituir esses sonhos.

Acredita-se também que os fetos sonhem 5% mais do que os adultos: os bebês precisam de mais tempo para digerir o que está acontecendo devido ao aprendizado diário, mesmo no útero da mãe, do que o nosso.

Além do mais, é de conhecimento geral que bebês também são capazes de fazerem outras coisas na barriga da mãe, como bocejar, soluçar, chorar e até mesmo sorrir.

Bebê com pesadelos: o que os papais podem fazer

Bebê deitado e gritando ao lado de um ursinho.

Fonte: (Reprodução/Internet)

Agora que você já sabe como os sonhos impactam o desenvolvimento dos bebês, está na hroa de avaliarmos o papel dos pesadelos nisso. Pode parecer um pouco assustador, mas os bebês também podem sofrer com essa angústia e, na maioria das vezes, não acordá-los é a melhor solução.

O fato do bebê estar fazendo barulhos enquanto dorme não significa, necessariamente, que ele está tendo um pesadelo. O ideal é que o responsável preste atenção no choro da criança, caso aconteça.

Além disso, os bebês também podem sofrer com o chamado terror noturno infantil, que é bastante semelhante a um pesadelo. Ele também ocorre durante o sono da criança, mas na primeira metade da noite (logo antes do sono REM).

Os terrores noturnos são mais comuns em crianças e geralmente desaparecem por conta própria à medida que a criança cresce – mais comuns em crianças do que bebês. 

O normal é que a crise dure por volta de 5 a 15 minutos, podendo se prolongar. Nesse período, a criança pode chorar, gritar, se debater, abrir os olhos e até mesmo sentar na cama e conversar. O lado positivo é que o terror noturno costuma desaparecer conforme os bebês crescem.

Aprenda mais sobre o sono dos bebês

 Muitos pais procuram por pediatras para tirar dúvidas sobre o comportamento das suas crianças, sobretudo sobre o sono. Dentro da comunidade, existem muitos debates acerca do assunto.

A fim de unificar esses entendimentos e unir sua experiência da maternidade, Karla Mendonça resolveu abrir o método de sono e birra do bebê. A neurocientista é formada em Educação pela Universidade da Flórida e é especialista em sono infantil.

Caso tenha interesse em conhecer, clique neste link.

Share

Vitor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *