A quarta semana do bebê

A quarta semana do bebê

A última semana dessa fase inicial. De acordo com a classificação feita clinicamente por pediatras, o recém-nascido passa a ser considerado bebê ou lactente. A partir daí, a nova vida deixa de ser contada em semanas e os meses é que serão considerados e as mudanças, aos poucos, vão sendo mais aparentes.

Ainda que o pescoço não seja forte o suficiente para sustentar a cabeça, quando colocado de bruços, o bebê consegue ergue-la por pouco tempo. Quando estimulado com sons, objetos ou movimentos, segue com os olhos e fixa o olhar por mais tempo. Embora pareça firme, tenha o cuidado de apoiar a cabeça em sua mão quando segura-lo no colo.

As tentativas de linguagem estarão mais intensas e ele vai tentar balbuciar alguns sons. Incentive esse aprendizado conversando muito com seu bebê e como a visão dele está se desenvolvendo, procure ficar a uma distância de uns 30 cm de distância para ele poder ver seu rosto.

De modo geral, o bebê vai continuar chorando para conseguir o que quer ou quando algo está desconfortável, como fome, sono, fralda cheia, cólicas e até mesmo para pedir colo. 

A parte boa, é que você já conhece melhor o jeito do bebê e, na maioria das vezes, vai saber exatamente o que ele quer. Aquela história de instinto materno, que você vai aprendendo em conjunto com o desenvolvimento do bebê.

 

Cólicas

A notícia triste é que elas vão continuar a incomodar o seu pequeno. Ele vai se contorcer, dobrar as perninhas, chorar mais alto e até que o estômago esteja mais acostumado com o processo de digestão, as cólicas aparecem para assombrar.

Enquanto elas não se vão, continue fazendo massagens na barriga dele, flexionando as pernas em direção ao abdômen, compressas com pano ou bolsa de água quente e todas as técnicas conhecidas, principalmente a de colocá-lo deitado de bruços na sua barriga. Além de ser muito gostoso, ajuda bastante.

Não se desespere. Nada de ouvir opiniões de achismos e correr preparar chás calmantes, a não ser que sejam para você, claro. Para o bebê, somente o leite é suficiente para mantê-lo alimentado e nutrido por 6 meses..

Fique tranquila, se a saúde do bebê estiver em ordem, até antes dos 3 meses isso pode passar. Se o choro for intenso demais, consulte um pediatra sobre a possibilidade de refluxo gastroesofágico.

 

Sono

Por enquanto, o bebê continua dormindo muito e precisa das sonecas diurnas e das 20 horas completas de sono, para ter um melhor desenvolvimento cognitivo, além de ficar muito mais feliz.

O sono do bebê é a parte que mais preocupa a mãe antes mesmo dele nascer. As noites mal dormidas do início irão gradativamente se tornar longas noites, isso se o bebê for condicionado e ensinado sobre a hora de dormir.

Insista na rotina do sono, isto é, estabeleça um horário para a hora de dormir, um banho relaxante, colocar um pijama, contar uma história ou cantar uma música, reduzir ou apagar as luzes.

Aliás deverá ser feita por um longo período de tempo e vai ficando mais fácil a cada noite, você vai ver.

 

Cuidados com a mamãe

É normal se sentir cansada, afinal você tem menos tempo para relaxar ou fazer as coisas que mais gosta para ter total atenção ao bebê.

Mesmo que ele precise de cuidados especiais, você também deve separar um momento exclusivo seu. Descanse durante uma soneca, tome um banho, se alimente, assista um bom filme. Recarregue suas energias físicas e mentais.

Por enquanto, não é para pensar nas mudanças do seu corpo e em começar dietas. A restrição de nutrientes pode ser prejudicial para você e seu bebê. Faça uma refeição equilibrada, beba muita água, você vai sentir muita sede mesmo. Se quiser, faça exercícios leves, que tragam relaxamento. Curta cada instante com seu bebê, porque passa mais rápido do que imagina.

Share

Karla Mendonça

Deixe um comentário