A criança de 2 anos

A criança de 2 anos

Isso mesmo, seu bebê agora foi promovido para o posto de criança. Quem é mãe sabe que ele nunca vai deixar de ser o seu bebê, mesmo que tenha 90 anos, porém para ele e o resto do mundo as coisas são diferentes.

Com o ganho de peso sendo menor e o aumento da altura maior, aquele bebê rechonchudo, cheio de dobras e fofuras para abraçar, beijar e morder vai ficando mais esguio e ainda mais parecido com a família.

Essa mudança ainda não está tão concretizada para seu bebê e para você. Ele quer ser independente e fazer tudo sozinho, mas quando se vê em determinadas situações, corre para você.

Por sua vez, você reluta em deixar o seu bebê crescer e ainda quer fazer tudo por ele. É preciso aceitar que para o desenvolvimento dele é importante permitir que ele faça algumas coisas por si só. Com isso, ambos crescem juntos.

A partir dos próximos textos, vamos tratar o seu bebê como uma criança. Continue lendo e saiba um pouco mais sobre o desenvolvimento da crianças de 2 anos e como deve ser a sua participação.

 

Estímulos e Brincadeiras

Com ela aprendendo a ter controle sobre as partes do corpo, melhor coordenação e passos relativamente mais firmes, as atividades devem ser mais elaboradas, com desafios maiores.

Entre as brincadeiras, a fala continua sendo estimulada através de conversa e repetição do nome das coisas e o acréscimo de novas palavras. Mostre novos objetos no livro ou novas formas e cores.

A massinha ou a areia de modelar, o desenho e a pintura seguem sendo uma das brincadeiras preferidas. Da mesma forma, experiências com água fazem a criança se entreter por um bom tempo.

Ela vai entender a ordem de que não pode comer massinha ou a tinta, mas logo em seguida vai repetir a ação. Converse sobre porquês e consequências. Uma sugestão é criar esses materiais em casa. Na internet existem várias receitas de massinha e tinta caseiras, feitas com ingredientes comestíveis e seguros.

As brincadeiras com bola também passam por uma adaptação. Se antes vocês apenas passavam a bola de um para outro, agora você pode criar obstáculos, como uma cesta de basquete improvisada ou tentar quicar a bola no chão.

Os quebra-cabeças e brinquedos de montar são ótimos para estimular atenção e percepção. O número de peças deve ser ideal para a idade, geralmente entre 2 a 5 peças. Conforme as imagens vão aparecendo, aponte e fale os nomes.

Com a curiosidade a toda, os livros interativos são uma boa opção. As versões pop up, com atividades de interação e sons, além de incentivar a leitura, estimula a criança a descobrir o efeito de ação e reação.

 

Alimentação 

Seu filho já come as mesmas comidas que toda a família. Se as refeições não contém alimentos ricos em nutrientes essenciais ao desenvolvimento, é preciso reavaliar o que vocês estão comendo e mudar alguns hábitos alimentares.

A criança observa o que os mais velhos fazem e imita. Isso acontece também na alimentação. De nada adianta preparar um prato saudável para a criança, enquanto o resto come pizza ou lasanha de micro-ondas.

Estimule seu filho a ingerir alimentos ricos em cálcio, como leites e derivados, ou outras fontes no caso de alergias ou intolerância, para o crescimento de ossos e manutenção dos dentes.

A ingestão correta de proteínas, cereais, fibras, carboidratos e açúcares garantem um bom desenvolvimento e funcionamento do organismo. Criar bons hábitos alimentares para o seu filho e adaptar os hábitos da família, só vão trazer benefícios.

 

Sono

Aos 2 anos, pode acontecer uma regressão de sono. A criança que antes dormia bem, pode passar a ter mais dificuldade em dormir ou na manutenção do sono. Os motivos para isso acontecer são vários:

– a transição do berço para a cama

– a ida à escola

– desfralde

– o aumento das atividades durante o dia

– a redução das sonecas diurnas

– ela passa a entender o medo de ficar sozinha

– outros medos como do escuro e de monstros podem surgir.

Essa fase tende a passar em algumas semanas. O mais certo a fazer é conversar com a criança e manter a rotina do sono à noite. Se durante o dia ela já não quer mais dormir, tenha a certeza de que irá dormir o necessário à noite.

 

Terrible Two ou a Adolescência do bebê

Quando os 2 anos chegam, a criança passa a se entender mais como um indivíduo separado da mãe. Ela percebe que pode fazer determinadas coisas e vai querer tomar as próprias decisões sobre diversos assuntos.

Lidar com as emoções é algo difícil para ela, que ao se ver frustrada diante de uma situação vai reagir de forma contrária ao que se espera. Ela se joga no chão, grita, chora, esperneia, bate os pés, tudo para ter a vontade atendida.

Assim como em todas as situações de estresse, respire fundo e procure manter a calma. Não grite junto com ela, tente manter uma conversa e a faça entender o que está acontecendo e como ela pode resolver o problema sem ficar nervosa.

Se vocês estiverem em um local público, não se preocupe com as pessoas à sua volta, seu filho está em fase de aprendizado e passar por isso faz parte. Talvez levá-la para um lugar mais tranquilo pode ajudar a acalmá-la e tentar resolver o impasse.

Share

Karla Mendonça

Deixe um comentário