A criança de 2 anos e 5 meses

A criança de 2 anos e 5 meses

O período dos 2 aos 3 anos é uma fase de refinamento. A coordenação motora da criança vai se aperfeiçoando, as pernas ficam mais firmes para correr e pular, o vocabulário aumenta e a forma como pronuncia algumas palavras melhora.

Se antes ela precisava de você para tudo, com o processo de independência e a formação da personalidade acontecendo, agora sua participação está em ajudá-la a entender essa fase de tentativas e frustrações, estabelecendo regras e limites, porém mostrando compreensão e calma. É uma fase difícil para ambos os lados.

A atenção é redobrada para evitar acidentes. Algumas crianças preferem ser mais cuidadosas, mas muitas delas costumam desafiar as possibilidades subindo mais alto, mexendo onde não deveria, indo a lugares errados.

Apesar de existir um padrão de desenvolvimento, a criança cresce em um ritmo particular. Antes de achar que seu filho ou sua filha está aquém de outras crianças por não fazer as mesmas coisas, converse com o pediatra para uma avaliação.

 

Estímulos e Brincadeiras

Qualquer estímulo deve ser feito de forma a atrair o interesse da criança e de criar um vínculo entre vocês. Quando a atividade é forçada, é mais difícil conseguir progressos, além de tornar a experiência estressante para todos.

Uma bola se transforma em várias outras atividades, só depende da criatividade. Chutar, jogar, bater no chão ou na parede, rolar, tentar acertar um alvo, seja qual for a brincadeira, sempre será divertido.

Bolhas de sabão também têm esse poder de entreter. Agora, a criança vai querer faz as próprias bolhas. Soprar talvez seja complicado por enquanto, então para ela não se frustrar totalmente, mostre como conseguir mexendo a argola no ar. A interação acontece quando você sopra e pede para ela estourar.

Para aprimorar, você pode improvisar um microfone, ou comprar um em loja de brinquedos, e incentivar a criança a apresentar um show cantando as músicas que ela gosta.

 

Alimentação

O paladar da criança provavelmente já está definido com essa idade. Ela tem preferência para uns alimentos e recusa outros. Mesmo que ela coma uma quantidade menor que os outros membros da família, é importante se atentar para a qualidade.

Uma alimentação saudável desde o começo, influencia em muitos fatores e evita problemas futuros como obesidade, diabetes e outras doenças. A refeição ideal deve variar entre carboidratos, gorduras, fibras e proteínas.

Como a criança tende a imitar os adultos, o seu prato, e o de toda a família, precisa ser tão saudável quanto o dela. A princípio, ela não queira comer o legume, mas se você continuar oferecendo e mostrando que gosta, talvez ela tente experimentar.

 

Sono

Atividades que acalmam a criança depois de um longo dia cheio de estímulos são benéficas na hora de dormir. A rotina do sono passa por algumas adaptações da idade, porém precisa ser mantida.

No banho, ela pode querer passar o sabonete ou o shampoo. Deixe que ela tente. Lembre-se de levá-la para escovar os dentes, e se você está fazendo o desfralde, ou já fez, leve ao banheiro.

Durante a história, leia algumas frases e peça para ela completar o resto. Cante a música calma junto com ela. Se ela tiver medo a ponto de não querer dormir, converse sobre os medos e deixe claro que você está por perto sempre que ela precisar.

 

A importância do seu estímulo para a criança

Dentro de um cotidiano agitado, com coisas para fazer e resolver entre a casa, o trabalho, entre outros, muitas mães transferem o brincar com os filhos para celulares, tablets e televisões.

As famílias passam menos tempo juntas e essa falta de interação e estímulo podem resultar em atraso no desenvolvimento cognitivo e social da criança. Elas ficam mais ansiosas, irritadas, demoram a realizar certos comportamentos simples, como falar, por exemplo.

A sua participação é muito importante para a vida do seu filho. Programe o seu dia para brincar com ele, mesmo que por poucas horas por dia. Mostre que você se interessa pelas conquistas, medos e frustrações dele. Escute o que ele está tentando dizer.

Claro que é preciso avaliar cada situação e, em alguns casos seja preciso a ajuda de um profissional, porém mesmo que muitos digam que algumas crianças demoram mais para falar, continue incentivando com atividades.

Isso vale também para crianças mais ansiosas ou que costumam se irritar com mais facilidade. Por mais que o terrible two faça parte do aprendizado, é a forma como você demonstra se importar que pode ensinar seu filho a lidar com isso.

Então, dance, cante, corra, se esconda, pinte, abrace, beije seu filho e o faça sentir que é amado e que pode se expressar de forma positiva para você todas as vezes que precisar, isso pode fazer uma enorme diferença.

Share

Karla Mendonça

Deixe um comentário